O grupo petrolífero russo Rosneft vai participar na construção de um oleoduto entre Moçambique e o Zimbabué, afirmou quinta-feira em Harare um porta-voz do grupo, citado pelo jornal New Zimbabwe.
O porta-voz acrescentou que o oleoduto permitirá o transporte de combustíveis entre o porto da Beira e um terminal de armazenamento, a ser construído perto de Harare, permitindo abastecer de combustíveis líquidos a Zâmbia, Malawi e Botswana.
Em Agosto passado, o ministro da Energia do Zimbabué Elton Mangoma anunciou que o governo pretendia construir um novo oleoduto para aumentar a capacidade do oleoduto Feruka que, com uma extensão de 287 quilómetros, transporta combustíveis entre o porto da Beira e a refinaria Feruka, nos arredores de Mutare.
O governo do Zimbabué controla 21 quilómetros e a moçambicana Companhia do Pipeline Mozambique-Zimbabué controla a restante extensão deste oleoduto em funcionamento que transporta mensalmente 130 milhões de litros de combustível.
O grupo Rosneft é o maior grupo petrolífero da Rússia sendo igualmente um dos maiores grupos cotados em bolsa em termos mundiais, centrando a sua actividade na exploração de petróleo e produção comercialização de derivados do petróleo.