Sociedade Elefantes destroem plantações e ameaçam segurança alimentar em Macossa

Elefantes destroem plantações e ameaçam segurança alimentar em Macossa

Receba atualizações de trabalhos do MMO Emprego

Siga o nosso canal do Whatsapp para receber atualizações diárias anúncios de vagas.

Clique aqui para seguir

A devastação de áreas agrícolas por elefantes no distrito de Macossa, agrava a situação de crise alimentar que a região já enfrenta devido à irregularidade das chuvas e ao fenómeno El Niño.

Camponeses de Macossa relatam a destruição de suas culturas de amendoim e milho pelos elefantes, colocando em risco a segurança alimentar das famílias.

A falta de chuvas, intensificada pelo El Niño, agrava a situação, dificultando a recuperação das perdas e aumentando a vulnerabilidade da população.

Os camponeses expressam profunda preocupação com a situação e pedem ajuda às autoridades para conter a invasão dos elefantes e proteger suas plantações.

Castigo Bofana, diretor dos Serviços Distritais de Actividades Económicas (SDAE) em Macossa, reconhece a gravidade da situação e a recorrência das invasões devido à proximidade do distrito com as coutadas.

Bofana aponta a vedação das coutadas como solução para proteger a população e os campos agrícolas, e informa que esforços estão sendo feitos para garantir o financiamento para essa medida.

A combinação da devastação pelas manadas de elefantes e a seca pode levar à desnutrição e à falta de alimentos para as famílias de Macossa.

Pedro Maqui, agricultor da localidade de Hombechawa, relata a frustração dos agricultores em face da perda de suas colheitas, que eram essenciais para a sua subsistência.

É necessário que as autoridades implementem medidas urgentes para proteger as áreas agrícolas e auxiliar os agricultores afetados pela crise.

Ações de sensibilização para a coexistência pacífica com a fauna selvagem e o apoio à recuperação das áreas devastadas também são essenciais.