Sociedade UEM desafiada a transformar-se numa universidade de investigação e produção de conhecimento...

UEM desafiada a transformar-se numa universidade de investigação e produção de conhecimento tangível

O Presidente da República, Filipe Nyusi,  desafiou ontem a Universidade Eduardo Mondlane, UEM, a tranformar-se numa universidade de investigação e produção de conhecimento tangível. O desafio foi feito na cerimónia de tomada de posse de Manuel Guilherme Júnior, nomeado ao cargo de Reitor da Universidade Eduardo Mondlane.

Ainda, ontem, Nyusi, igualmente conferiu posse, a Marcelino Liphola, reconduzido ao cargo de vice-reitor da Universidade Lúrio (UniLúrio) e a Fred Charles Nelson, nomeado ao cargo de vice-reitor da mesma instituição.

“Apesar de ser a maior e mais antiga universidade do país, a Universidade Eduardo Mondlane enfrenta situações desafiantes e, para continuar a assumir o seu papel de uma universidade mãe, precisa de dinamizar o processo em curso de transformação numa autêntica universidade de investigação e produção de conhecimento. Essa característica deve ser tangível, visível e ficar uma marca da universidade. Procure incrementar a actual posição da UEM nos rankings regional e internacional de qualidade de ensino como uma prioridade. A pandemia da COVID-19 que vivemos nos últimos anos mostrou o quão é necessária a aceleração da digitalização dos processos no ensino superior. Há necessidade de maximizar e potenciar os quadros internos nos órgãos colegiais”, defendeu o Chefe de Estado, citado pelo O País.

Por sua vez o novo reitor da UEM garantiu que tudo fará para o crescimento daquela instituição de ensino. “Temos que continuar a melhorar a nossa qualidade e, como disse o Presidente da República, temos que melhorar os nossos rankings e aprimorar a investigação para responder aos desafios do país”, disse Manuel Guilherme Júnior, que sucede a Orlando Quilambo, que vinha exercendo a função de reitor da UEM desde 2010.