Início Sociedade Saúde Professores primários serão abrangidos pela campanha de vacinação contra a Covid-19

Professores primários serão abrangidos pela campanha de vacinação contra a Covid-19

Cerca de 70 mil professores do ensino primário serão abrangidos, a partir da próxima semana, pela campanha de vacinação contra a Covid-19, para reduzir o risco de propagação da doença nas escolas.

A directora nacional-adjunta de Saúde Pública disse que o número de professores poderá variar em função da avaliação no terreno, tendo em conta os critérios de elegibilidade definidos pelas autoridades sanitárias para a toma da vacina.

“Podemos ter casos de professores inelegíveis por doença ou por amamentação. Mas o nosso plano é vacinar todos”, disse, avançando que depois se seguirão os jornalistas, reclusos, membros das Forças de Defesa e Segurança (FDS) e doentes crónicos.

Revelou que desde a eclosão da pandemia da Covid-19, há um ano, o sector da saúde actualizou, por três vezes, o protocolo de tratamento de doentes internados para ajustar à evolução da situação epidemiológica e garantir melhor resposta.

Na habitual conferência de imprensa para partilha de dados sobre aCovid-19, a fonte garantiu que o sector vai monitorar o cumprimento das medidas preventivas da Covid-19 para evitar focos de propagação durante a Páscoa.

Explicou que o país está a fazer imenso esforço para conter a propagação da Covid-19,e os resultados são visíveis. “Devemos, por isso, manter os ganhos, cumprindo rigorosamente todas as medidas preventivas já decretadas”, vincou Matsinhe.

O director de Inquéritos no Instituto Nacional de Saúde (INS), Sérgio Chicumbe, defendeu, por seu turno, a necessidade de esforços regionais para conter a doença, numa altura em que o continente regista estabilização e redução de casos.

Destacou que o número de novos casos, internamentos e óbitos no país decresceu no mês de Março corrente.

As províncias do Niassa, Nampula e Maputo apresentam taxa de positividade acima de 10 por cento, sugerindo a prevalência de focos ainda activos de transmissão.

Nas províncias de Nampula, Zambézia e Sofala têm sido diagnosticados mais casos nos últimos dias, o que pode dever-se à melhoria da triagem e testagem.

As informações foram tornadas públicas num dia em que o Ministério da Saúde anunciou cinco óbitos e um doente internado nos centros de isolamento na província de Tete, com complicações causadas pela Covid-19.

O número de infecções subiu para 67.292, com o diagnóstico de 95 novos casos positivos, para além de 96 pessoas que foram declaradas livres da doença.

FONTEJornal Notícias
Artigo anterior15 pessoas morreram em naufrágio na Guiné-Conacri
Próximo artigoArranca amanhã a campanha de pesca para 2021