Início Sociedade Educação Cerca de 340 mil alunos estudam em situação deplorável em Sofala

Cerca de 340 mil alunos estudam em situação deplorável em Sofala

Estudar e ou leccionar em alguns distritos da província de Sofala, particularmente nas regiões que foram severamente afectadas pelos ciclones Idai, Chalane e Eloise, entre Março de 2019 a esta parte, continua sendo caótico.

Os ciclones em causa destruíram total e ou parcialmente cerca de três mil salas de aula na província de Sofala, das quais menos de 500 é que foram reabilitadas.

Por isso, cerca de 340 mil alunos estão sem salas de aula há dois anos, ou seja, desde Março de 2019, aquando da passagem do primeiro ciclone, o Idai.

Vamos recorrer ao exemplo da Escola Primária Completa 25 de Junho, localizada no bairro da Munhava, na cidade da Beira.

Estudam naquela escola cerca de cinco mil alunos em condições deploráveis. As salas de aula estão sem tecto desde a passagem do ciclone Idai. Em Junho de 2019 foram alocadas àquela escola algumas tendas para minimizar o problema. Essas foram degradando gradualmente e os últimos dois ciclones que devastaram a cidade da Beira, o Chalane, em Dezembro do ano passado, e Eloise, em Janeiro deste ano, destruíram por completo as referidas salas improvisadas.

Desde o arranque do presente ano lectivo, os alunos da EPC da Munhava têm tido aulas debaixo do sol e quando há chuva, não há aulas.

O sector de educação, em Sofala, reconhece o problema que afecta pelo menos cinco distritos, nomeadamente Beira, Dondo, Nhamatanda, Búzi, Gorongosa e Muanza e, garantiu que, a nível ministerial, há vários esforços para minimizar o problema.

FONTEO País
Artigo anteriorMaputo: Antiga directora Provincial do SERNIC no banco dos réus
Próximo artigoCovid-19: China soma 11 casos nas últimas 24 horas