O ministro para os Assuntos Africanos saudita, Ahmad Qattan, condenou os ataques armados em Cabo Delgado, norte de Moçambique, manifestando abertura do seu país para apoiar Moçambique na assistência humanitária.

“O terrorismo não tem religião e a Arábia Saudita condena as ações terroristas de que Moçambique está a ser alvo. E nega, por completo, estas ações extremistas”, declarou Ahmad Qattan.

O responsável falava após uma reunião com o chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, no âmbito de uma visita de dois dias que realiza a Moçambique desde terça-feira.

Para Ahmad Qattan, os ataques armados protagonizados por grupos classificados pelas autoridades como terroristas não tem justificação.

“São ações que vão contra os princípios de todas as religiões a nível internacional”, frisou Ahmad Qattan, manifestando a abertura da Arábia Saudita para apoiar Moçambique na assistência às populações deslocadas.

A violência armada em Cabo Delgado dura há três anos e está a provocar uma crise humanitária com cerca de 2.000 mortes e 500.000 pessoas deslocadas, sem habitação, nem alimentos suficientes – concentrando-se sobretudo na capital provincial, Pemba.

Além do chefe de Estado moçambicano, em Maputo, Ahmad Qattan manteve também um encontro com o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Manuel José Gonçalves, no âmbito de uma visita que se enquadrou no “reforço dos laços de amizade e cooperação existentes entre os dois países”, segundo o Ministério dos Negócios Estrangeiros moçambicano.