Ainda assim, nada está definido, mas há uma luz no fundo do túnel. Até porque a Liga Moçambicana de Futebol prevê o arranque do Moçambola 2020 para primeira semana de Novembro próximo, mas a decisão final, para autorização às competições, está nas mãos do Presidente da República, segundo disse Gilberto Mendes, secretário de Estado do Desporto.

“Neste momento o Presidente da República autorizou o arranque das aulas, autorizou desde o passado fim-de-semana o arranque dos espectáculos, e, acredito, que o desporto virá a seguir. Nos próximos dias o arranque das competições poderá ser anunciado”, disse Gilberto Mendes, para quem há “um ‘timing’ para tudo”, mesmo para dar a entender que o anúncio chegará no momento certo.

Esta convicção do secretário de Estado do Desporto é firme, pese embora os casos positivos da COVID-19 que surgem nas equipas que já submeteram seus jogadores a testes. Para Gilberto Mendes “é algo que acontece num contexto normal como acontece a toda gente, não são contágios que terão ocorrido dentro do campo, são contágios que terão ocorrido em convívios normais em família, mas é o tal novo normal com o qual vamos conviver todos e temos que partir do princípio que somos todos assintomáticos até prova em contrário, portanto acredito que o desporto também vai voltar muito em breve”, acrescentou o secretário de Estado do Desporto.

Até este momento apenas o Costa do Sol, União Desportiva de Songo, Ferroviários da Beira e de Maputo, Associação Black Bulls e Textáfrica do Chimoio realizaram testes, havendo casos confirmados nos “canarinhos”, “locomotivas” de Maputo e na Black Bulls.

Recorde-se que para o Moçambola 2020 só vão participar equipas licenciadas, e esta sexta-feira a Comissão de Licenciamento vai anunciar as equipas com licença confirmada.

Para já, o Desportivo Maputo e Incomáti de Xinavane viram seus pedidos de licenciamento rejeitados, uma informação que será confirmada na comunicação a ser feita pela Comissão de Licenciamento de Clubes, na manhã desta sexta-feira.

Segundo escreve o Lance, citando fonte da Comissão, esta decisão foi tomada tendo em conta o facto de os dois clubes não terem alcançado suficiente índice de observância dos requisitos estabelecidos como imperativos para o processo de atribuição de certificado de licença.

Uma decisão que coloca as duas colectividades “quase” fora da rota do Moçambola 2020.

Assim, a Comissão de Licenciamento de Clubes terá atribuído as licenças aos restantes 12 clubes que vão participar no campeonato nacional de futebol, nomeadamente Ferroviário da Beira, Liga Desportiva de Maputo, Associação Black Bulls, estas três que tinham sido atribuídas licenças anteriormente, os Ferroviários de Maputo, de Nampula, de Nacala e de Lichinga, Costa do Sol, ENH de Vilankulo, Matchedje de Mocuba, Textáfrica do Chimoio e União Desportiva do Songo.

Entretanto, segundo escreve o Lance, citando o Órgão de Primeira Instância da Comissão de Licenciamento, estes clubes devem manter todos requisitos estabelecidos, sendo que em caso de não cumprimento, as licenças poderão ser retiradas a esses clubes.