Sete pessoas ficaram feridas, três das quais em estado grave, em consequência de dois ataques armados ocorridos na quinta-feira 17, na região de Inchope, província de Sofala. A incursão é atribuída à Junta Militar da Renamo.

As vítimas viajavam em dois autocarros atacados entre a região do Inchope e a ponte sobre o rio Púnguè,  em Sofala. Os autocarros partiram na manhã desta quinta-feira da cidade da Beira, em Sofala, para Quelimane, na Zambézia.

A viagem ficou temporariamente interrompida, pois, a cerca de 40 quilómetros de Gorongosa, as viaturas foram emboscadas e metralhadas por homens armados.

A Polícia da República de Moçambique (PRM) confirmou os ataques e disse que foram protagonizados por “bandidos armados da Junta Militar da Renamo, liderados por Mariano Nhongo”.

“Do ataque temos a registar sete feridos, sendo três em estado grave. Os feridos graves foram transferidos para o Hospital Provincial de Manica. Nos dois autocarros foram registados danos ligeiros”, ou seja, “vidros das janelas quebrados”, explicou Dércio Chacate, porta-voz da PRM em Sofala.

O primeiro autocarro foi atacado por volta das 07h45 e o segundo às 10h00.

A Polícia garantiu que, apesar dos ataques, a circulação de pessoas e bens ao longo da Estrada Nacional número seis (EN6) decorre normalmente.