O juiz moçambicano Carlitos Teófilo, que julga os seis arguidos por conspiração contra o Estado, por supostamente recrutar homens e financiar o grupo dissidente da Renamo, expulsou os jornalistas na sessão de reinício das audiências na sexta-feira, 7, no Tribunal judicial distrital de Dondo.

O juiz alegou que o tribunal estava a evoluir nas audiências para tratar assuntos processuais “sensíveis”, no dia em que se devia descortinar os exames de criminalística, que vão decidir o grau de ligação de cada réu, incluindo dirigentes da Renamo, com a autoproclamada Junta Militar da Renamo.

O julgamento reiniciou-se nesta sexta-feira, 7, após duas semanas de interrupção, pelo fato do juiz ter notificado, por duas vezes, declarantes errados, no caso os investigadores do Serviço Nacional de Investigação Criminal (Sernic), que deviam descodificar os exames de criminalística, que inclui mensagens telefónicas trocadas entre os réus antes da detenção.