O Presidente americano Donald Trump abordou pela primeira vez nesta quinta-feira, 30, a possibilidade de adiamento das eleições presidenciais de 3 de Novembro, alegando que um aumento na votação por correspondência causaria mais fraudes eleitorais.

“Com a votação universal por correio electrónico … 2020 será a eleição mais imprecisa e fraudulenta da história”, escreveu Trump no Twitter, sem, no entanto, avançar qualquer evidência de fraude.

“Adiar as eleições até que as pessoas possam votar com segurança?”, questionou o Presidente em jeito de sugestão.

Uma mudança na data das eleições presidenciais de 3 de novembro de 2020, como todas as eleições federais, exige uma decisão do Congresso, que é controlado pelos democratas.

O Presidente chamou as opções de votação remota o “maior risco” para sua reeleição.

Entretanto, as reações já começaram a surgir.

O historiador presidencial Michael Beschloss escreveu no Twitter que atrasar a eleição violaria a legislação.

“Nunca na história americana – nem mesmo durante a Guerra Civil e a Segunda Guerra Mundial – atrasou-se a eleição presidencial”, disse Beschloss, autor de 10 livros sobre a história americana.

Por seu lado, o diretor da Agência de Segurança Cibernética e Infraestrutura, Chris Krebs, disse à Brookings Institution no passado dia 17 que “a eleição de 2020 será a eleição mais segura da história moderna”.

As autoridades afirmam que, embora as eleições presidenciais de novembro não sejam isentas de riscos, os sistemas de defesa e apoio deverão garantir um resultado livre e justo.