A Organização Mundial de Saúde (OMS) está a acompanhar os preparativos da retoma de aulas presenciais, no país. A garantia foi dada na quinta-feira (09) em Maputo pela Representante da OMS, em Moçambique, Jamila Cabral, frisando que esse acompanhamento está a ser desde o início, feito pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, aquando da prorrogação pela terceira vez, do estado de emergência no país.

“Nós, o nosso parceiro mais natural é o ministério da saúde, mas como o ministério da saúde também está a trabalhar com o ministério da educação no quadro da saúde escolar, então, estamos a apoiar toda essa reflexão que está a ser feita.

A OMS também tem estado a emitir directivas e orientações técnicas para a questão da reabertura das escolas porque também é uma questão de saúde pública. A escola é um lugar de aglomeração e temos estado a apoiar todo esse processo. Neste momento, eu sei que há um trabalho intenso no sector da educação para preparar as escolas, por isso é que é faseado, porque não dá para todas as escolas ao mesmo tempo.

Houve critérios de classes de exame, classe de maiores, como crianças e adolescentes, mas capazes de seguir certas orientações. Portanto, há certos critérios e a minha compreensão da mensagem do Presidente é que devemos estar prontos para aliviar certas medidas.

A condição é preparar-se para isso, mas também a outra condição que eu entendi é ter a flexibilidade para voltar para trás, se constatarmos que as medidas ao ser aliviadas, provocaram um efeito contrário do que a gente queria. Isso para mim, são as duas características fundamentais: Preparar e ter a flexibilidade para voltar trás” , disse.