No âmbito de intensificação das medidas de prevenção da COVID-19, a população do distrito de Chibabava, foi instruída a comunicar imediatamente as autoridades, a chegada de mineiros oriundos da África do Sul, um dos pontos com maior índice de contaminação do novo coronavírus.  

Esta acção prende-se com o facto de naquele distrito, alguns mineiros oriundos da África do Sul, não estarem a observar as medidas de prevenção, pois recusam-se a permanecer em quarentena, de livre vontade. Este facto esta a preocupar as autoridades que instruíram as comunidades a comunicar imediatamente a chegada de um mineiro, com objectivo de evitar a propagação da doença.

A medida foi bem acolhida pelos residentes daquele distrito, e particularmente dos que vivem em Muxúngue, onde existem um grande número de mineiros.

“Muxúngue é um grande corredor e muitos mineiros residem e tem famílias aqui, Infelizmente alguns destes nossos compatriotas ignoram as medidas de prevenção. Outros recusam permanecer em quarentena pondo em risco toda a comunidade e o país. Portanto a criação de um grupo de vigilância irá certamente contribuir no controle desta doença”, explicou Orlando Joaquim, um dos líderes comunitário.

E é pelo facto de Muxúngue ser um grande corredor, pois é por aqui por onde passa a estrada nacional número um, a única via que liga o sul, o centro e o norte do país, que se intensificam esforços do governo e seu parceiros na sensibilização da população para a observância permanente das medidas de higiene, nos três distritos da zona sul de Sofala, nomeadamente Búzi, Chibabava e Machanga.

Nesta quinta-feira por exemplo, a OXFAM e a União Europeia, através da Plataforma da sociedade civil para a proteção social, ofereceu à aquelas comunidades, 6400 máscaras, igual número de caixas de sabão, 100 baldes assim como 100 viseiras para protecção dos técnicos de saúde e do Instituto Nacional de Acção Social.