Dois indivíduos estão privados da liberdade, desde ontem, na 13.ª Esquadra da Polícia da República de Moçambique (PRM), no bairro do Triunfo, na cidade de Maputo, um dos quais indiciado de furto de bens em residências e o outro por se apoderar de uma viatura alheia, após simular interesse em adquiri-la.

As detenções ocorreram depois de denúncias das vítimas e da investigação das autoridades.

O indiciado de roubo em mais de 30 residências, no bairro do Triunfo e outros da cidade da Matola, confessa os crimes e afirmou que se dedica a furtos, há quatro anos, para sustentar os seus dois filhos.

O jovem, de 30 anos de idade, natural da cidade da Beira, indicou que se submeteu a um tratamento tradicional para não ser neutralizado, durante as suas incursões. Entretanto, antes de ser detido, foi baleado por uma das suas vítimas.

Por sua vez, Abreu Mahumane, de 23 anos de idade, indiciado de apoderar-se de um carro, após fingir interesse em comprá-lo, nega as acusações que recaem sobre si.

“Eu levei o carro a fim de vendê-lo. Mas os clientes não gostaram da viatura, pelo que continuei com o mesmo na expectativa de encontrar um interessado. Porém, alguém denunciou-me à Polícia, por estar a vender um veículo sem documentação”, contou.

O porta-voz da PRM, a nível da cidade de Maputo, Leonel Muchina, afirmou que os indiciados são reincidentes no mundo criminal.

Muchina contou que Mahumane aliou-se a outros dois cadastrados, ora a monte, eprotagonizavam assaltos ao longo da avenida da Marginal, sendo os ginastas as principais vítimas.