O Movimento Democrático de Moçambique condena o suposto envolvimento de Sandura Ambrósio no financiamento da Junta Militar. O MDM diz ainda que este não é, e nunca foi membro do seu partido. Entretanto, Sandura Ambrósio é deputado suplente do MDM pelo círculo eleitoral de Sofala.

Tem sido prática de membros dos partidos políticos particularmente da oposição, desvincularem-se de um partido para se juntar ao outro. A título de exemplo foram os casos de Venâncio Mondlane e Manuel de Araújo que abandonaram o MDM para se juntar a Renamo em 2018 com o objectivo de candidatarem-se à presidência dos municípios de Maputo e Quelimane respetivamente.

No ano passado, o então deputado da Renamo Sandura Vasco Ambrósio abandonou o partido e juntou-se ao Movimento Democrático de Moçambique. Sandura está preso na cidade da Beira acusado de ser um dos financiadores dos homens que aterrorizam a região centro do país.
Esta quarta-feira, “O País” ouviu o chefe nacional adjunto de informação do MDM, Augusto Pelembe que lamentou e distanciou o partido do caso.

“Membro do MDM não é, não faz parte dos quadros do Movimento Democrático de Moçambique, numa das vossas reportagens deixou bem claro que ele era delegado da Renamo. O facto de estar ligado a junta militar da Renamo eu acho que isso cabe a justiça fazer o seu trabalho”, disse Augusto Pelembe.

Membro do MDM ou não, o certo é que Sandura Vasco Ambrósio foi eleito como deputado suplente do MDM para a nona legislatura segundo o apuramento geral do Conselho Constitucional. Para Pelembe, Sandura só chegou a esta posição porque o MDM é um partido que opta pela inclusão.

“Ele identificou-se com o projecto do MDM, que é libertar o país de um regime que governa o país a mais de 44 anos, quis fazer parte da lista para defender os interesses nacionais e nós abrimos a porta. Membro como tal não é e não é a primeira vez que MDM faz isso”, acrescentou Pelembe.

É um caso para dizer que alguns partidos políticos só reconhecem os seus membros ou simpatizantes quando estes estão no activo e são úteis para a formação politica.

Na segunda-feira (20), Sandura Ambrósio foi ouvido pela procuradoria provincial de Sofala, no âmbito das investigações sobre o processo e na ocasião declarou aos jornalistas que é inocente.