São um total de 48 197 pessoas que vão disputar 13 231 vagas disponibilizadas pelas universidades Maputo, Licungo, Rovuma, Púnguè e Save a partir da segunda-feira (13).

O exame a seguir estava marcado para quarta-feira (15), mas fica adiado para sábado (18)  por conta da tomada de posse do Presidente da República, Filipe Nyusi, no mesmo dia.

A Lei determina que há “tolerância de ponto de âmbito nacional” na “data de tomada de posse do Presidente da República eleito”.

A Uni Maputo explica, num comunicado a que o “O País” teve acesso, que os exames ora adiados serão realizados no mesmo local e na mesma hora previamente estabelecidos.

Os candidatos podem aceder a informações relevantes sobre o processo de exames através das ferramentas de consulta de estado da inscrição, salas, horário e resultados, por exemplo, seguindo os habituais procedimentos.

Refira-se que este é o primeiro ano depois da extinção, ano passado, pelo Conselho de Ministros, da Universidade Pedagógica (UP) e consequente criação de cinco novas universidades.

Trata-se das universidades do Rovuma, a Universidade Rovuma que era a Universidade Pedagógica do Niassa, Universidade Pedagógica de Nampula e Universidade Pedagógica de Montepuez.

A Universidade Licungo, Uni Licungo que agrega a UP Beira e a UP Quelimane, a universidade Pungue, Uni Pungue que integra a UP Manica e UP Tete, a Universidade Save, Uni Save que integra a UP Massinga, UP Maxixe e UP Gaza, e finalmente a Universidade Maputo, Uni MAPUTO que integra a actual sede da UP.

As novas instituições resultam da juncão das diferentes delegações da UP nas regiões norte, centro e sul do país. Como instituições autónomas, as novas universidades vão servir melhor os cidadãos, no entender do Governo. Este fundamentou que divisão surgiu da necessidade de descentralizar a gestão das universidades, imponderar a sua governação local para  torná-las mais eficientes e capazes de responder a dinâmica actual do desenvolvimento do país e do Mundo.

O País