O júri do julgamento de Jean Boustani, negociador de projectos envolvidos nas dívidas ocultas de Moçambique, retomou as deliberações para decidir um veredicto, depois de uma semana de paragem.

Jean Boustani, cidadão libanês e responsável de vendas da empresa Privinvest, é acusado pelo Governo dos Estados Unidos da América de conspiração para lavagem de dinheiro, fraude electrónica e fraude de valores mobiliários, com transferências de dinheiro que terão passado pelo território norte-americano.

O arguido declarou-se inocente de todos os crimes no depoimento que fez durante o julgamento e disse que todos os Projectos em Moçambique eram exclusivamente para a protecção da zona costeira e melhoria das condições de segurança de um país que, na sua visão, tinha “muita riqueza natural” e “grande potencial”.

Jean Boustani, que foi alvo de um mandado de captura internacional e foi extraditado para os Estados Unidos desde a República Dominicana, está em prisão preventiva em Brooklyn desde 2 de Janeiro e em julgamento desde 15 de Outubro.

msn