O distrito de Massingir na província de Gaza foi assolado por mau tempo que destruiu parcial e totalmente 546 casas deixando cerca de 600 famílias ao relento.

Os ventos fortes acompanhados por descargas atmosféricas destruíram infra-estruturas públicas e privadas, incluindo gado bovino que foi dizimado.

Rosa Abdul Palé, é natural da Cidade de Maputo, vive na Vila sede do Distrito de Massingir na Província de Gaza há dez anos, ela tem três filhos um dos quais recém-nascido. Rosa está hoje ao relento, o mau tempo deitou para baixo a sua casa do tipo um feita de estacas e barro, coberta por capim. A mulher faz parte de uma das seiscentas famílias que viram suas casas a desabarem por força do vendaval. E ela perdeu todos pertences que estava no interior da casa, que está em entulhos “Minha cama partiu-se, a mesa também, muita coisa que partiu-se aqui.

Não tenho comida, graças a vizinhos que me dão de comer, tudo ficou aqui neste matope”.

As descargas atmosféricas dizimaram duma só vez oito cabeças de gado bovino pertencentes a Senhora Celita Nhate, que tinha um curral desde 1979 onde o seu gado ia se multiplicando. Nhate contou que daquele curral tirou gado para os seus filhos lobolarem as suas esposas. Neste momento ela diz não ter forças para continuar e não sabe se terá apoio das autoridades para repor a sua manada. “Não sei como recuperar, aqui onde estou não tenho forças. Não sei o que fazer. Não sei se o governo vai ajudar-me porque ainda não vi ajuda”.

O rasto de destruição em Massingir é notório em todos sectores. O edifício onde funciona o posto administrativo sede foi também afectado.

O tecto desabou, os arquivos estão destruídos. O Instituto Agro-Industrial e Comercial 25 de Junho ficou seriamente atingido. Vinte e cinco formandos daquela instituição de ensino técnico profissional ficaram sem instalações. Mas o director do Instituto, Alberto Mabunda disse a reportagem do Jornal “O País” que face ao problema a escola soube encontrar soluções.

Sérgio Moiane, lidera o Governo de Massingir, disse ao “O País” que neste momento o Governo Distrital está a trabalhar com os afectados.

“Nós estamos na posse de cinquenta rolos plásticos que vamos distribuir para ajudar as comunidades. Como sabe Massingir atravessa um momento de seca muito grande e o capim é escasso. Vamos ajudar as comunidades, vamos contemplar as famílias vulneráveis sobretudo para provisoriamente criarmos condições. E é considerável que as pessoas que tem posse consigam repor as suas casas, e o mais importante é que não houve perdas de vidas humanas”.

O Governo do Distrito de Massingir, diz ter registado sete feridos dos quais dois em estado grave, mas que segundo, Sérgio Moiane, já tiveram alta. “Os técnicos de saúde estiveram em prontidão, trataram as pessoas os que não estavam graves voltaram para casa no mesmo dia os restantes ficaram internados na mesma noite e dia seguinte tiveram alta hospitalar e continuam a ter tratamento ambulatório”.

Na Vila sede houve interrupção no fornecimento de energia eléctrica e água em consequência do vendaval. Mas a situação está a normalizar-se com a intervenção dos vários sectores visando restabelecer o que o mau tempo levou.

O País