O porta-voz da PRM em Inhambane Juma Dauto, terá declarado à imprensa que os 21 malawianos retidos na cidade da Maxixe estavam no país ilegalmente, o Serviço de Migração naquele ponto do país veio a público desmentir a polícia.

Rosângela Vilanculo garantiu à imprensa que os malawianos estão todos legais pois possuem documentos que lhes autoriza a permanecer no país. Entretanto, os mesmos foram retidos pois não preenchem todos requisitos para permanecer no país, como por exemplo um meio de subsistência.

A Porta-Voz do SENAMI diz que as autoridades trabalham ainda para averiguar por que razão os malawianos seguiam com destino à Maputo, e não descarta a hipótese de se tratar de um caso de contrabando de pessoas ou tráfico de pessoas.

O País