Uma mulher foi degolada na noite da passada sexta-feira para sábado, no bairro da Munhava na cidade da Beira, por uma ou varias pessoas, ainda desconhecidas.

O corpo da mulher que em vida respondia pelo nome de Luísa Januário e que tinha 38 anos, foi encontrado a menos de cinquenta metros da sua residência, semi-nua e sem as roupas interiores, o que faz presumir que a vítima teria sido violada sexualmente antes de ser assassinada. O corpo estava atrás de uma igreja que a mesma frequentava.

O corpo da Luísa Januário estava estatelado há cerca de três metros de um local onde havia uma certa quantidade de sangue  e  um rasto do mesmo podia e ver ate ao local onde estava a vítima. Cláudia Rafael, amiga da vítima contou que cerca das 20 horas da passada sexta-feira a finada teria lhe dito que que estava preses a morrer.

“Sim. Ela afirmou isso várias vezes e apesar de eu sempre ter rogado para a Luísa explicar-me porque iria morrer ela recusou. Apenas repetia que seria morta e que não gostaria que eu tivesse a mesma sorte dai preferir gerir um silêncio sobre o suposto assassínio. Pedi a ela para nos  dirigirmos a polícia e ela recusou. Horas depois fui surpreendida com a notícia da sua morte”.

Importa referir que a vítima foi encontrada morta há cerca de 50 metros da sua residência e que esteve com os familiares ate as 22 horas daquela sexta-feira. A vítima era divorciada e deixa cinco filhos, três deles menor. Uma das filhas, de 14 anos de idade contou que na noite que ocorreu o crime,  pediu a mãe para abandonar uma casa de pasto e juntar-se a família, sem sucesso.

“Infelizmente cerca das cinco horas do dia seguinte recebemos a triste notícia” – lamentou a filha

O País