Residentes do distrito do Cuamba, província de Niassa, norte do país, lincharam na quarta-feira, cinco funcionários de uma empresa mineira, disse à Lusa fonte policial.

“Populares enfurecidos dirigiram-se a um acampamento de uma mineração de nome Gems Group e atearam fogo”, disse Alves Mate, porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) no Niassa.

O ataque aconteceu pelas 10:00 e a população levou os homens, um dos quais segurança e outros quatro trabalhadores da mineração, todos moçambicanos.

“Agrediram, lincharam, queimaram-nos vivos”, acrescentou o porta-voz da PRM.

A população justificou o ataque por julgar que as cinco vítimas, em ligação a cidadãos chineses residentes na zona, eram traficantes de órgãos humanos e autores de furtos, resolvendo fazer justiça pelas suas próprias mãos.

A polícia diz que deteve dois homens tidos como instigadores do linchamento e está a trabalhar no sentido de ter mais informações.

“Os casos de linchamento têm sido frequentes”, queixou-se Alves Mate, alguns dos quais com a “presença de crianças” na assistência, que encaram o crime como uma norma social.

A PRM tem realizado campanhas para dissuadir os residentes da prática de agressões organizadas.

Lusa