Iniciaram as obras de construção da ponte metálica sobre o Rio Licungo que liga o posto administrativo de Malei, em Namacurra e Maganja da Costa, na Zambézia. A infra-estrutura foi destruída pelas cheias que fustigaram a província em Janeiro de 2015.

Cerca de quatro anos e oito meses depois, a ponte sobre o Rio Licungo na província da Zambézia vai ser reabilitada. Os trabalhos estão a cargo de uma empresa chinesa que já posicionou sua maquinaria no terreno para iniciar a reabilitação.

De acordo com o Ministro das Obras Públicas, a infra-estrutura vai reduzir as longas distâncias percorridas, actualmente, pela população e melhorar o desenvolvimento local.

“Os Distritos de Namacurra, Maganja da Costa, Mocubela e Pebane, irão, com esta ponte, poder dar um salto gigantesco a geração de rendimento proveniente do grande potencial agrícola e pesqueiro de que possuem.

Com esta infra-estrutura concluída, o acesso aos principais mercados fica mais facilitado. As populações alargarão a sua base de rendimento e o custo de vida reduzirá substancialmente”, considerou o ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos.

Dado à escassez de recursos, João Machatine explica que o Governo decidiu construir a ponte metálica para facilitar o tráfego, enquanto mobiliza dinheiro para uma ponte convencional.

“A magnitude dos danos ocorridos na ponte, em 2015, exige avultados fundos para a sua reparação, por isso que o Governo foi concebendo uma solução tecnicamente à altura dos fundos disponíveis. Solução esta que passa pela construção desta Ponte Metálica que ira garantir a fluidez do tráfego”, disse João Machatine.

Durante o lançamento da primeira pedra da infra-estrutura, o Ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, João Machatine, exigiu seriedade aos empreiteiros e fiscais.

Com a ausência da ponte, a população de Pebane e Maganja da Costa percorre cerca de 400 quilómetros para Malei. Com a ponte, a distância reduz para 120 quilómetros.

A ponte tem 925 metros de comprimento e 7 de largura. Será construída em um ano e custará ao Governo cerca de 914 milhões de meticais, desembolsados através do Fundo de Estradas.

Até ao momento, o País possui 1.297 pontes, das quais 1.115 (86%) são convencionais 143 (11%), metálicas e 39 (3%) em madeira.

O País