A polícia vai reforçar o patrulhamento junto à fronteira com a África do Sul e com a Tanzânia, devido ao aumento de entrada ilegal de alegados criminosos, anunciou o comandante-geral da corporação, Bernardino Rafael.

“Exigimos dos nossos agentes maior profissionalismo na missão de vigiar a linha de fronteira, atendendo à situação e ao contexto que o nosso país vive, caracterizado pela actuação de malfeitores que procuram desestabilizar a pátria”, referiu, citado pela edição deste sábado do Jornal Notícias.

“Nalguns casos, a entrada destes acontece devido ao fraco controlo fronteiriço, daí que queiramos que as nossas forças se empenhem para estancar estas violações”, referiu.

Ataques armados por grupos insurgentes já matarem pelo menos 200 pessoas na província de Cabo Delgado, no Norte do país, desde Outubro de 2017, suspeitando-se que alguns membros entraram ilegalmente no país.

O reforço do patrulhamento vai ser feito a norte, na fronteira com a Tanzânia, junto a Nangade, Negomano e Mecula, e a sul, na fronteira com a África do Sul, em Massingir, Mapulanguene e Ponta do Ouro, apontou Bernardino Rafael.

Folha de Maputo