A Polícia na província de Niassa diz ter reforçado a segurança dos juízes depois do atentado, que um magistrado sofreu em Cuamba, onde desconhecidos descarregaram mais de 10 balas contra a sua residência. 

Falando ao “O País” Arnaldo Chefo, Comandante da PRM em Niassa diz que “a polícia em relação a este assunto fez um trabalho profundo e instaurou o devido auto de denúncia que foi remetido as instâncias competentes. E para garantir a segurança ou para deixar os juízes e outros intervenientes neste processo da garantia da ordem e seguras públicas, nós incrementamos medidas de segurança para evitar que algo de género volte a acontecer. Neste momento estamos esperançados que a investigação que está a ser feita vai nos trazer resultados positivos com vista a encontrarmos os indivíduos que perpetram este acto”.

Arnado Chefo acrescentou dizendo que “Niassa é uma província tranquila e é por isso que estamos preocupados. Queremos saber o que teria acontecido efectivamente, mas em todo caso estamos a fazer de tudo para que situações de género na voltem a acontecer. Estamos a trabalhar lado a lado com os juízes, procuradores e outras entidades que achamos que sua actividade coloca-lhes em risco”.

O País