O Presidente da Republica Filipe Nyusi voltou a tecer duras criticas contra cidadãos nacionais que estão a apoiar os insurgentes na província de Cabo Delgado. Os mesmos estão a matar sem piedade e a destruir bens da população em várias regiões daquela província de Moçambique.

Nyusi que iniciou esta segunda-feira a visita presidencial de dois a província central da Zambézia onde vai escalar quatro distrito, fez saber que as autoridades detiveram alguns cidadãos nacionais que segundo suas palavras “se fazem passar de empresários financiando grupo de jovens para dentro das suas comunidades matar e destruir bens”.

O estadista deu garantias de que o executivo moçambicano está a fazer de tudo para trazer a estabilidade para a província de Cabo Delgado onde são contabilizados centenas mortos por decapitações.

“Nós queremos neste encontro aqui no posto administrativo de Socone distrito de Ile província da Zambézia apelar a Juventude para estar vigilante no sentido de não aceitar nenhuma falsa proposta de emprego para trabalhar naquela província. Nós sabemos que pessoas de má-fé estão a recrutar jovens alegando emprego na área de pesca em Mocímboa da Praia e Palma numa autêntica falsidade. Eles fazem estes recrutamentos com objectivos da população e matar”, disse o presidente adiantando que “eles ficam ricos jovens, são mortos nos confrontos com militares do exército, por isso queremos apelar que se alguém vier para esta zona com estas promessas recusem e informem as autoridades para que estes indivíduos sejam neutralizados”.

O Presidente da Republica lembrou a população no comício por si orientado que os protagonistas da desordem de Cabo Delgado fazem se passar de Muçulmanos. “É preciso lembrar que emprego anuncia-se do contrário vocês devem desconfiar”.

Nyusi preocupado com baixa produção de aves e ovos na Zambézia

Ainda na Zambézia, Filipe Nyusi mostrou-se preocupado com níveis baixo da produção de aves e ovos suficientes para alimentar a população da Zambézia. Nyusi desafiou a população a tomar dianteira no processo para incremento da produção.

“A Província da Zambézia tem o problema de não produzir aves e ovos para o consumo da população. Está a ficar uma vergonha para Moçambique andar a importar galinha e ovos de países que nem tem o que nós temos em termos de matéria-prima para ração das aves. Nós temos milho, soja, mapira componente necessários para a produção de ração. Temos que produzir o suficiente” desafiou.

Na ocasião, Nyusi apelou a população da Zambézia a produzir também outras culturas de rendimento para sua subsistência, uma vez que a Província oferece condições agroecologia para efeito. A população deu na ocasião garantias ao chefe do Estado no sentido de responder os desafios.

O País