Dois funcionários do Hospital Central da Beira foram detidos pela polícia, indiciados de roubo de material médico-cirúrgico. Um dos acusados assumiu a culpa mas não revelou o destino dos bens roubados.

Cerca das 11 horas desta sexta-feira, um dos administrativos do Hospital Central da Beira, fazendo-se transportar na sua viatura, foi interpelado pelos seguranças desta unidade hospitalar num dos portões de saída. Na habitual vistoria foi encontrado no interior do carro 100 luvas cirúrgicas, 200 luvas de exames, dois termómetros, dois estetoscópios entre outro material.

O funcionário foi imediatamente detido, pois não sabia explicar a proveniência e nem o destino do material. Em contacto com imprensa o funcionário assumiu a culpa.

“São coisas da vida. Aconteceu, era para acontecer. Não esperava. Quando a coisa quer acontecer, mesmo a gente tentando alguma coisa pode mostrar que não podes fazer mas quando estás destinado a fazer vais fazer. É só dizer, deixo tudo nas mãos de Deus, aconteceu. O material estava na minha viatura. Eu é que estava a dirigir a viatura, o que significa isso?”, assumiu o funcionário.

Na mesma manhã a polícia deteve o fiel do armazém do HCB que estava de serviço indiciado de ter o roubo do material. Este não negou e nem admitiu o seu envolvimento no crime.

“Estou a ser acusado. Não tenho a certeza, ninguém tem a certeza se sou eu ou não. Só que eu é que manuseei o material, tenho tido a posse das chaves. Eu estou inserido neste armazém onde estava o material. Tem os responsáveis, eu sou agente de serviço.

Folha de Maputo