O Costa do Sol, anunciou este domingo, através de um comunicado publicado na sua página do Facebook, que não vai participar na Taça da Confederação 2019-2020 também conhecida como Taça Nélson Mandela.

A equipa canarinha que se havia qualificado para a segunda maior competição africana de clubes, ao vencer a Taça de Moçambique da época passada, enumera várias razões para não participar na prova, entre elas de ordem financeira.

Eis o Comunicado:

A Direcção do Clube de Desportos da Costa do Sol vem por este meio comunicar aos seus associados e adeptos e ao público em geral, que não tomará parte da Taça Nélson Mandela 2019-2020, para a qual se havia qualificado ao vencer a Taça de Moçambique da época passada. De entre várias razões, as que foram mais importantes para a tomada desta decisão foram:

1. O clube encontra-se a realizar investimentos de monta a nível infraestrutural, que dotarão as nossas equipas profissionais e de formação, de condições básicas para a prática do desporto, em especial dotarão o clube, com instalações que permitam a prática das modalidades existentes e outras que passarão a ser incorporadas no clube. Ademais, outros investimentos complementares a nível de segurança (muros, vedações ou sistemas de controle), escoamento de águas residuais ou de iluminação do nosso Campo entre muitas outras complementares foram ou estão a ser erguidos no clube neste momento devendo ser finalizadas até ao final do mês de Agosto.

2. Em face a estes investimentos e no âmbito da racionalização e prioritização de recursos, os custos financeiros envolvidos na participação nas competições Africanas, seriam incomportáveis no âmbito do orçamento do Clube desta época,

3. É sabido que o clube procura conquistar o Moçambola, o que poderia ser colocado em causa, participando nas prova continental, uma vez que com os atrasos sucessivos que sucederam no Moçambola, bem como as datas disponíveis para jogos oficiais, escassas ou inexistentes, implicariam um esforço físico e perturbação na gestão do calendário que certamente prejudicaria o principal objectivo.

4. Devido ao desfasamento entre a época desportiva em vigor na CAF e a época em vigor em Moçambique, ao se qualificar para a fase de grupos, o Clube de Desportos da Costa do Sol correria o risco de não ter um período de interregno entre duas épocas desportivas o que traria transtornos financeiros, de gestão geral e até de gestão de recursos humanos do clube.

A Direcção do Clube de Desportos da Costa do Sol
21 de Julho de 2019

Folha de Maputo