Um projecto habitacional no distrito de Marracuene causa desconfianças por avançar sem permissão e nem acompanhamento do Governo local.

“Pfuna Majove” que em tradução livre para português pode ser entendido como “Ajuda aos jovens” é um projecto habitacional que consiste na atribuição de terrenos a jovens mediante depósito de 35 mil Meticais na conta bancária de um indivíduo, facto que gera desconfiança de tratar-se de burla.

Um local em quem se vê mais mata, com pouca intervenção humana. Entende-se apenas que um indivíduo abriu um acesso e está a vender terrenos.

O mentor indica no documento de apresentação que o projecto de atribuição de terrenos com dimensões 20/40 metros quadrados é levado a cabo em coordenação com o Governo de Marracuene, mas contactado pela Miramar o executivo distancia-se.

Sérgio Sumbana desencoraja os cidadãos a aderirem ao projecto.

O Governo local recorda que vários casos de conflitos de terra começam desta forma, e o caso concreto do projecto “Pfuna Majove” toma contornos de venda de terrenos, um acto ilegal. Contactados telefonicamente, os mentores do projecto ”Pfuna Majove” disseram que só aceitariam encontro com a nossa reportagem mediante apresentação de um documento oficial para entrevista.

Miramar