O ex-Presidente brasileiro Lula da Silva considera que a prisão do ex-Presidente Michel Temer é uma tentativa da operação Lava Jato desviar atenções e lembra que “ninguém pode ser preso sem o devido processo legal”.

Dilma Rousseff, também ex-Presidente (parte dos crimes imputados a Temer terão sido cometidos durante a sua liderança do Governo), quer ver em que se baseou a decisão do juiz.

“A Lava Jato tenta desviar a atenção do descrédito em que estava caindo e do fundo de 2,5 bilhões [mil milhões] que negociaram com os EUA”, pode ler-se numa das publicações da conta oficial de Lula da Silva no Twitter. “Instituições poderosas como o MP [Ministério Público] e a PF [Polícia Federal] não podem ficar fazendo espectáculo. Todo aquele que cometer um crime, se o crime for provado, tem que ser punido. Seja o Temer, ou o Lula. Seja o FHC ou o Bolsonaro”, lê-se numa segunda publicação.

O Partido dos Trabalhadores (PT) afirmou, na quinta-feira, que “espera que as prisões de Michel Temer e de Moreira Franco, entre outros, tenham sido decretadas com base em fatos consistentes, respeitando o processo legal, e não apenas por especulações e delações sem provas”, segundo um comunicado de imprensa citado pela Veja.

Dilma Rousseff, ex-Presidente do Brasil que teve Michel Temer como vice-presidente, não publicou nenhuma reacção no Twitter. O BuzzFeedNews avança que um assessor terá dito que a ex-Presidente, destituída em 2016, queria saber em que estava baseada a decisão do juiz.

O ex-Presidente brasileiro Michel Temer foi detido, esta quinta-feira, no âmbito da operação Lava Jato, por suspeita de ter sido durante vários anos  líder uma organização criminosa e o principal beneficiário de uma alegada rede de corrupção desde os anos 1980. Michel Temer, que se encontra em prisão preventiva, é neste momento alvo de dez inquéritos.

Observador