O número de pessoas mortas pelo ciclone Idai, no centro de Moçambique, subiu, no domingo (24), de 417 para 446.

No último levantamento preliminar, as autoridades do país dizem que há mais de 518 mil pessoas afectadas, das quais 1528 estão feridas.

As operações de emergência salvaram cerca de 110 mil pessoas, em zonas de risco. Cerca de 22 mil pessoas estão em centros de acomodação, nas províncias de Sofala, Manica, Tete e Zambézia.

As operações de busca contam com 120 especialistas de diferentes partes do mundo, meios aéreos, marítimos e terrestres.

O ciclone, que atingiu o centro de Moçambique, na semana passada, destruiu mais de três mil salas de aulas que serviam a 91 mil alunos; quarenta e cinco unidades sanitárias; e inundou 498 mil hectares.

Na cidade da Beira, segunda maior de Moçambique, que foi a mais atingida pelo Idai, as autoridades iniciaram o restabelecimento em fases de alguns serviços básicos.

VOA