Parte do tabuleiro da ponte sobre o rio Rovubué cedeu consideravelmente devido ao volume de água, que causou, igualmente, inundações em Moatize e em quatro bairros da cidade de Tete. Em consequência disso, a circulação de viaturas foi interdita.

Segundo o director geral da Administração Regional de Águas da bacia do Zambeze, Custódio Vicente, disse que o nível de água ultrapassou 10 metros de altura, com um volume de escoamento de oito mil metros cúbicos por segundo, o que terá fragilizado os pilares da ponte que, consequentemente, cedeu numa das suas partes.

Para chegar à cidade de Tete de carro, a alternativa é a segunda ponte sobre o rio Zambeze. Entretanto, a distância é muito longa.

Para os próximos dias prevê-se piores cenários porque o rio Chire está a receber muita água que vem do vizinho Malawi e da zona alta da província, como os distritos de Tsangano e Angónia onde chove bastante e há previsão de ocorrência de um ciclone que pode atingir o nosso país. O Instituto Nacional de Meteorologia está a monitorar o ciclone em previsão, devendo emitir um comunicado com informações mais precisas nos próximos tempos.

O País