Uma mulher chinesa de 27 anos não vai poder ter mais filhos depois de ter passado por 17 abortos nos últimos seis anos.

Segundo o portal “ABC”, a mulher, identificada como Xiao Ju, ficou estéril depois de o útero ter sofrido sérios danos em consequência de todos os procedimentos a que foi sujeita.

Zhao Qin, chefe de ginecologia do Hospital Shiyan, na China, terá pedido à mulher, quando esta ainda estava grávida, para que não abortasse, devido aos riscos de não poder ter mais filhos.

Ainda assim, a jovem de 27 anos insistiu, não deixando outra opção à equipa médica a não ser a do aborto.

Xiao Ju teve o primeiro aborto aos 21 anos, pouco depois de ter começado a namorar com o homem com quem ainda mantém uma relação amorosa.

Desde então, os médicos garantem que a mulher se “tornou uma cliente habitual” do departamento de ginecologia daquele hospital, com uma média de quase três abortos por ano.

A médica deu conta dos problemas de saúde da mulher durante os exames que realizou antes do último aborto. “Descobri que o revestimento do útero era extremamente fino, como um pedaço de papel, em consequência dos vários abortos que fez”, explicou Zhao Qin.

Apesar da insistência dos médicos para que seguisse com a gravidez, a mulher abortou, com a justificação de que não pretende casar e não tem condições para criar um filho.

JN