Um homem cuja identidade não apurámos morreu vítima de disparo efectuado pelo seu vizinho, na semana finda, no município da Matola, província de Maputo, disse o Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM).

Sem avançar detalhes sobre a identidade da vítima, nem as causas levaram à tragédia, aquela instituição do Estado fez saber que o crime ocorreu no dia 17 de Fevereiro em curso, no bairro Tchumene 1.

Em comunicado de imprensa enviado ao @Verdade, a PRM – esta terça-feira não concedeu o habitual briefing à imprensa – explicou que o homicida é um moçambicano de 36 anos de idade, que responde pelo nome de M. Davide.

Consumado o acto, o visado abandonou a pistola de calibre 7.65 milímetros, com dois carregadores contendo 49 munições, num condomínio naquele bairro. A vítima morreu no Hospital Provincial da Matola (HPM).

Ainda no município da Matola, as autoridades policiais recuperaram 61 munições de AK-47, achadas por um cidadão de 36 anos de idade, identificado pelo nome de C. Chambe, quando fazia escavações para erguer um muro de vedação da sua casa.

O facto aconteceu no dia 18 do mês em curso, no bairro de Khongolote. No bairro de Intaka, na Matola, a PRM deteve, na última sexta-feira (22), dois cidadãos por porte ilegal de uma arma de fogo de tipo AK-47, com o número viciado e sem munições no carregador.

Trata-se de S. Tembe, de 30 anos de idade, e E. Macuácua, de 22 anos. Este último está afecto aos Serviços Cívicos das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM).

@Verdade