A Procuradora Geral da República, Beatriz Buchilli, manteve sexta-feira, em Maputo, um encontro com os advogados de defesa do antigo ministro moçambicano das finanças, Manuel Chang. 

Segundo a Televisão de Moçambique (TVM), que cita uma fonte da PGR, o encontro realizou-se a pedido da sua defesa, no âmbito da preparação da audição do antigo governante e actual deputado da Frelimo, que se encontra detido na África do Sul em conexão com o caso “dívidas ocultas”.

Segundo a fonte, os advogados, cujos nomes não foram revelados, pretendiam inteirar-se do processo de investigação em curso na PGR no âmbito das dívidas ocultas.

A Procuradoria Geral da República promete, segundo a TVM, pronunciar-se sobre o assunto hoje, segunda-feira, em Maputo.

Manuel Chang foi detido dia 29 de Dezembro em Joanesburgo, quando se preparava para embarcar para Dubai. A detenção foi a pedido das autoridades norte-americanas, que pedem a sua extradição.

Chang é acusado pela justiça dos Estados Unidos da América (EUA) de crimes que incluem branqueamento de capitais e fraude fiscal.

O antigo ministro das Finanças do Governo do então presidente Armando Guebuza volta a ser ouvido, amanhã, por um tribunal sul-africano.

A justiça norte-americana marcou a primeira audição com Manuel Chang no próximo dia 22 de Janeiro.

Além de Manuel Chang, três ex-funcionários do Credit Suisse Group foram detidos, em Londres, na última quinta-feira, acusados de terem participado no esquema envolvendo dois mil milhões de dólares americanos em empréstimos a Ematum, Pro-Indicus e MAM, empresas moçambicanas.

O quinto suspeito, Jean Boustani, antigo funcionário da empresa Privinvest, de Abu Dhabi, foi preso no Aeroporto Internacional F. Kennedy em Nova York, quando tentava deixar os Estados Unidos da América.

Jornal Notícias