A partir deste ano todos os alunos da 5ª, 7ª, 10ª e 12ª classes vão ao exame. O Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano diz que a eliminação da dispensa tem como objectivo acabar com a subjectividade no processo de avaliação das competências dos alunos das escolas primárias e secundárias de todo o país.

Aprovado no ano passado, o Regulamento de Avaliação do Ensino Primário, Secundário, Alfabetização e Educação de Adultos entra em vigor este ano. Uma das mudanças trazidas pela nova lei tem a ver com a obrigatoriedade de todos os alunos irem ao exame, conforme diz o número 2 do artigo 83 do regulamento “ Não há dispensa nas classes de Exame”.

O Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano justifica a medida com a necessidade de tornar mais objectiva a avaliação do grau de aprendizagem dos alunos a nível nacional.

E a  abolição da dispensa é bem vista pelos encarregados de Educação.

O número de disciplinas a serem examinadas também mudou. Na 10 ª classe por exemplo, passam a ser feitos oito exames.

Mas a boa nova é que os alunos passam a ser avaliados somente com a matéria da classe com exame. Ou seja, na 10 ª classe, já não contam os conhecimentos e as notas da 8ª e 9 ª classes. E na 12 ª classe as notas e matéria da 11ª classe, também não são levadas em conta. E a média final, passa a ser calculada a partir das seguintes fórmulas:

10 ª Classe 3x Média Final + Nota de Exame: 4

12 ª Classse 2x Média Final + Nota de Exame: 3

O acesso a segunda época é definido pelo número de exames que o aluno passou na primeira chance.

Já na 1ª, 2ª e 3 ª classes os alunos passam de seis para ter apenas as disciplinas de Português, Matemática e Educação Física. A partir do sistema de progressão por ciclos, os encarregados de educação e os professores poderão tomar a decisão de passar ou reter um determinado aluno.

O ministério da Educação e Desenvolvimento Humano espera que com as mudanças, consigam monitorar melhor os alunos e professores. Para que no final do ano seja fácil premiar os melhores e perceber onde estão os problemas.

O País