Três ugandeses, líderes do grupo extremista Al Shabab, foram neutralizados em Mocimboa da praia, em Cabo Delgado, e transferidos para as celas da vizinha província de Nampula.

A polícia considera tratar-se de líderes do grupo que desde Outubro de 2017 aterroriza o norte de Cabo Delgado. A apresentação do grupo foi feita num dia em que foram patenteados oficiais, generais das FADM e PRM pelo presidente da república.

São três detidos, dos quais uma mulher esposa de um membro superior do grupo Al Shabab, o qual segundo afirmam encontram-se nas matas Moçambicanas e concretamente em Cabo Delgado. Assumem ser membros do Al Shabab no Uganda seu país de origem. Dizem ter se deslocado a Moçambique com o propósito de resgatar seu líder principal e negam ter qualquer ligação com atrocidades de Cabo Delgado, porém sabem que o referido líder tem um grupo nesta província.

A polícia não tem dúvidas e assegura serem estes os cabecilhas do grupo que semeia medo, terror, pânico e luto em Cabo Delgado, até porque através destes, as Forças de defesa e segurança conseguiram desmantelar algumas bases.

As FDS prometem prosseguir com operações em Cabo Delgado e outros pontos do país.

O País