O Conselho Nacional de Defesa e Segurança recomendou o Grupo de Monitoria, criado no âmbito dos consensos entre o Chefe de Estado, Filipe Nyusi, e Presidente da Renamo, Ossufo Momade, para investigar os desmandos cometidos por alguns membros da perdiz.

A investigação é uma das recomendações saídas da 14ª reunião ordinária do Conselho Nacional de Defesa e Segurança, (CNDS) que teve lugar hoje, em Maputo, e que foi dirigida por Filipe Nyusi, Presidente da República e Comandante-Chefe das Forças de Defesa e Segurança (FDS), refere um comunicado de imprensa enviado a AIM.

O CNDS analisou “os desmandos protagonizados por alguns indivíduos da Renamo na província de Tete, distrito de Moatize, localidade de Kondezi, contra as populações locais, impedindo-as de realizar a sua actividade produtiva, alegando serem zonas do seu controle”, lê-se no comunicado.

Por isso, o CNDS instruiu para que seja lançada uma investigação com vista a neutralização e responsabilização dos seus autores.

Os membros do CNDS também apreciaram a informação sobre a situação da ordem, segurança e tranquilidade públicas, tendo saudado as FDS pelas acções desenvolvidas com vista a reposição da ordem e criação da estabilidade social e económica, particularmente no norte da província de Cabo-Delgado, na região norte, instando a prosseguir as operações de forma implacável contra os malfeitores, responsabilizando-os pelos actos bárbaros perpetrados contra cidadãos indefesos.

Os exercícios militares “CUTLASS EXPRESS” que vão decorrer em Moçambique entre Janeiro a Fevereiro do corrente ano, no âmbito da cooperação militar bilateral entre a República de Moçambique e os Estados Unidos da América também foram abordados durante a sessão.

O CNDS também recomendou ao governo para avaliar a “Convenção da Unesco sobre a Protecção do Património Cultural Subaquático” tendo sempre presente a questão da soberania nacional.

O CNDS apreciou ainda a situação de insegurança das famílias assoladas pelas chuvas intensas que ocorrem nalgumas regiões do país com maior destaque para a cidade da Beira e Dondo, tendo o Presidente da República instruído o governo para constatar no terreno e tomar as devidas medidas em coordenação com o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades.

Criado em Julho de 1996, o CNDS é o órgão de consulta do Chefe do Estado, específico para os assuntos relativos à soberania nacional, integridade territorial, defesa do poder democraticamente instituído e à segurança.

Folha de Maputo