Um cidadão, conhecido por G2, é indiciado de ter assassinado a namorada, Mira Baptista, no bairro Acordos de Lusaka, município da Matola, província de Maputo.

Supõe-se que o crime tenha acontecido após o casal ter sido visto a comprar bebidas alcoólicas em uma barraca nas imediações da casa onde residiam, segundo noticia o Jornal O País.

A família da malograda amotinou-se na sexta esquadra da PRM, para exigir que o indiciado fosse condenado. Para estes, o homicida pretendia roubar dinheiro e bens da malograda.

O indiciado confessa o crime e diz que tal facto aconteceu por ciúmes. “Matei, porque ela queria me juntar com outro homem na mesma casa”, disse o indiciado citado pelo Jornal O País.

A Polícia da República de Moçambique (PRM), diz que já foi instaurado um processo-crime e o indicado será responsabilizado pelo crime cometido caso se prove o seu envolvimento.

Folha de Maputo