A Polícia da República de Moçambique (PRM), em Cabo Delgado, diz não ter encontrado nenhum indício de assalto, após três horas de averiguações no supermercado recheio na cidade de Pemba.

Joaquim Sive diz que o estabelecimento esteve todo o tempo cercado pelo que qualquer pessoa que se fizesses ao exterior teria sido detectada pela polícia.

“Vasculhamos todo o edifício e não encontramos ninguém” reiterou Sive.

O suposto assalto gerou pânico na cidade de Pemba. Segundo um segurança do supermercado, a agitação teria sido despoletado pelo próprio gerente do estabelecimento quando chamou um segurança armado alegando a existência de um ladrão no supermercado. Instalou-se o pânico.

As notícias que circularam por todo o país pelas redes sociais indicavam que cerca de 20 trabalhadores haviam sido feitos reféns e que inclusive o gerente havia sido morto pelos assaltantes alegadamente armados. Um segurança do supermercado foi ferido à bala pela colega durante uma discussão sobre se abriam fogo ou não contra os supostos assaltantes. A agitação foi condenada em diversos quadrantes.

O Bispo de Pemba, Dom Luís Lisboa, disse que aquele boato era uma grande irresponsabilidade principalmente nesta fase de insegurança que Cabo Delgado atravessa, enquanto o governador de Cabo Delgado Júlio Parruque classificou o acto de uma brincadeira de mau gosto.

Em face da situação os três gestores do supermercado foram detidos pela Policia para averiguações.

O País