O Hospital Central de Quelimane, na província da Zambézia, está sem dinheiro para adquirir alimentos para os doentes internados nesta unidade sanitária, nos próximos três meses.

O facto foi revelado, esta segunda-feira, pelo director clínico daquela maior unidade sanitária da província da Zambézia, César Macome.

A falta de fundos vai também afectar as áreas de limpeza, combustíveis para viaturas e do grupo gerador.

Para os próximos três meses, o Hospital Central de Quelimane necessita de mais de vinte milhões de meticais.

César Macome explicou que o Hospital Central executou até Outubro, cem por cento do orçamento disponibilizado pelo Estado para este ano, fixado em cerca de vinte e sete milhões de meticais.

Para nós funcionarmos, de facto, até ao fim do ano, precisaremos de um valor de cerca de vinte e dois milhões de meticais. A direcção provincial de Saúde da Zambézia está a trabalhar neste sentido e está tudo acautelado que não há-de haver problemas nenhuns”, disse o director clínico do Hospital Central de Quelimane, na Zambézia.

César Macome acrescentou que devido a insuficiência do orçamento, a instituição tem dívidas com algumas entidades que prestam vários serviços, principalmente água e energia, naquela unidade sanitária.

Jornal Notícias