Quatro membros da Polícia Camarária no município de Nampula foram conduzidos às celas da Cadeia Provincial de Nampula, na tarde de segunda-feira (13), acusados de extorsão a um camionista que alegadamente que circulou numa via com um camião com tonelagem acima do recomendado.

De acordo com Agostinho Baúque, do Gabinete Provincial de Combate à Corrupção, a detenção dos visados foi graças à denúncia da vítima àquela instituição do Estado, através da linha verde criada para o efeito.

Tendo interpelado o automobilista, os polícias envolvidos neste esquema deviam ter emitido um aviso de multa correspondente a seis salários mínimos, mas não o fizeram, optando e tirar proveito da situação.

Consta que eles se apoderaram dos documentos pessoais e do livrete da viatura do queixoso e, acto contínuo, disponibilizaram um dos seus contactos telefónico com orientações claras para que o condutor lhes telefonasse mais tarde com os 5.000 meticais que pretendiam.

O visado, não se opondo à multa, e achando estranho a postura dos agentes da Polícia Municipal, decidiu pedir a ajuda do Gabinete Provincial de Combate à Corrupção.

“Eles Combinaram para se encontrarem nas imediações do governo provincial” depois de o condutor “descarregar a mercadoria. Ele dirigiu-se ao local combinado” mas seguindo as orientações daquela entidade estatal.

Mesmo diante dos factos, os quatro policiais negaram que o valor encontrado em sua posse provinha da extorsão, mas as notas coincidiam com as que o gabinete teria feito cópias antes da entrega pelo camionista.

Por seu turno, Mariza Caramacha, chefe do Departamento de Educação Pública no pelouro da Policia Municipal e Fiscalização em Nampula, confirma a detenção dos quatro membros, mas disse desconhecer as circunstâncias em que os mesmos foram presos.

@Verdade