O pavilhão da Universidade Pedagógica Sagrada Família da Maxixe, quase foi pequeno para acolher no último domingo (15), uma moldura humana que se fez presente, para assistir a finalíssima gala da II edição do concurso do canto coral da música gospel.

A iniciativa é do conselho municipal da cidade da Maxixe e visa divulgar a música coral e valorizar a cultura ao nível da cidade.

Participaram do evento cerca de 13 grupos corais dos quais 7 é que conseguiram resistir até a última gala e os restantes foram eliminados por insuficiência de voto.

Dos grupos que desfilaram no palco do pavilhão da UP Maxixe na última gala da segunda edição do concurso do canto coral da música gospel, os destaques vão para: o grupo coral Voz Viva, Angel Boy, Igreja Metodista Livre, Beto metodista, IFP de Chicuque, Assembleia Livre e Tsama na Hulonguili. O objectivo era cada grupo convencer o júri do que sabe em termos do canto coral.

No fim das apresentações o júri bastante exigente fez as suas classificações, dando duras criticas aos grupos que mal se apresentaram neste concurso para que melhorem a sua forma de se posicionar ao palco. Mas também houveram grupos que receberam elogios por terem dado o seu melhor, foi o caso do IFP de Chicuque, Voz Viva, Assembleia Livre e Angel Boy.

De seguida o mesmo júri foi convidado a anunciar os resultados dos quatro vencedores que iriam levar para casa, prémios em valores monetários que variam entre 25 mil, 20, 15 e 10 mil meticais respectivamente, a serem entregues no dia 18 de Novembro, dia em que a cidade da Maxixe completa mais um aniversário.

O grupo Betometodista não foi para além da 7ª posição seguida de Assembleia Livre e Igreja Metodista Livre com 6ª e 5ª posição respectivamente, enquanto IFP-Chicuque ocupou a primeira posição e tendo conseguido levar o maior prémio de 25 mil meticais, seguido do grupo Tsma na Hulonguil na segunda posição com direito de 20 mil meticais, o grupo voz Viva na terceira posição com 15 mil meticais e o quarto e o último grupo com 10 mil meticais é Angel boy.

Por sua vez os grupos vencedores mostram satisfeitos e dizem que o evento serviu de uma oportunidade para uma troca de experiência entre as igrejas e prometem continuarem a trabalhar para as próximas edições.

Já os grupos derrotados justificam a sua derrota, responsabilizando os organizadores pela ma organização do evento.

O evento contou com a presença do presidente do conselho Municipal da cidade da Maxixe, Simão Rafael, que por seu turno mostrou-se muito satisfeito pelo nível de participação dos grupos e disse que este concurso enquadra-se nas celebrações do 43º aniversário da elevação da Maxixe a categoria da cidade. O concurso vai continuar e será sempre anual e exorta as igrejas para que nas próximas edições participem em massa com vista a contribuir na manutenção da paz, e unidade nacional.

Simão Rafael encoraja ainda os grupos para que continuem a trabalhar, sobretudo na divulgação da música coral ao nível da cidade e que o município garante dar o seu apoio para que os grupos concretizem os seus sonhos.

Anastácio Marcelino