Professores universitários contestam a decisão do Ministério do Ensino Superior que proíbe que leccionem fora das Universidades onde estão vinculados e cadastrados.

De acordo com o ministro da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, Jorge Nhambiu,  o governo está a por em prática vários dispositivos e plataformas que vão permitir controlar todas actividades do ensino superior e salvaguardar a qualidade do ensino.

Uma destas medidas é o cadastro de professores do ensino superior, “porque neste momento instituições de ensino superior que quando vão requerer para a sua abertura pegam em professores que já estão a leccionar em outras instituições e atolam-nos como professores que são exclusivamente dessas instituições”, disse  Nhambiu, referido que o cadastro estará pronto dentro de três a quatro meses.

Segundo os docentes e instituições de ensino superior no país, os baixos salários auferidos por esta classe e falta de quadros em quantidade com competências técnico-científicas para leccionar os cursos universitários são algumas das mais gritantes preocupações que revelam a medida inadequada para às condições que o país oferece.

Estão autorizadas a ministrar cursos universitários no país, cerca de 49 instituições de ensino superior, sendo que a maioria funciona sem as normas estabelecidas por lei.

África Digital