Os quatro sul africanos acusados ​​de assassinar um cidadão moçambicano Emmanuel Sithole na manha do passado sábado serão julgados no próximo dia 4 de Maio no Tribunal de Alexandra arredores de Joanesburgo, na África do Sul.

Os assassinos  depois de detidos, foram conduzidos ao tribunal na última terça-feira sob acusação de assassinato, um crime associado aos actos de xenofobia que vêm assolando a RAS e que vitimou o moçambicano Emmanuel Sithole.

Contudo, a Polícia sul-africana continua a colocar a possibilidade de o malogrado ter sido esfaqueado mortalmente após exigir que o grupo lhe pagasse o valor dos produtos do seu negócio (cigarros e crédito de telemóvel), de que se apoderaram ilicitamente.

O chefe do Governo Provincial de Gauteng, David Makhura,  citado pela imprensa sul africana que esteve no tribunal com o representante do Ministério Público sul-africano Mxolisi Nxasana, disse que os populares que presenciaram o crime teriam dito que o mesmo partiu de um roubo que a vítima sofrera dos atacantes. Aquela ao reclamar pelo roubo viria a ser agredido de forma violenta pelos quatro atacantes.

Notícias