Um empresário de origem asiática, não identificado, foi barbaramente assassinado ontem em Maputo, tendo sofrido golpes de martelo na região da nuca.

O caso deu-se na avenida Romão Fernandes Farinha, em Frente à Escola de Comunicação e Artes da Universidade Eduardo Mondlane (ECA-UEM), no edifício que acomoda os escritórios da Associação das Mulheres Moçambicanas de Carreira Jurídica, onde o finado fixava residência.

Segundo testemunhas, tudo teria acontecido em circunstâncias estranhas, pois na manhã de domingo, por volta das 05h00, alguns vizinhos pediram que o malogrado retirasse o seu automóvel do parque para que os mesmos pudessem sair, tendo regressado à sua casa depois de satisfazer-lhes o pedido.

Como habitualmente acontecia, o cidadão assassinado não mais retornou para estacionar o carro na garagem do edifício, nem voltou a sair naquele dia.

Preocupados com o desaparecimento do homem, que por sinal era proprietário de um parque de venda de automóveis na Av. Angola, alguns amigos que tentaram entrar em contacto por via telefónica, dirigiram-se á sua residência, onde viriam a descobrir o corpo inanimado e coberto de sangue.

De acordo com testemunhas, é possível que se trate de um ajuste de contas e que tenham havido ameaças, pois meses antes a vítima mandou a família para o estrangeiro, passando a viver sozinho.

Até a altura em que a nossa redacção retirou-se do local, a Polícia da República de Moçambique (PRM) efectuava trabalhos de investigação no sentido de apurar as causas e identificar o autor do crime.