Na antevisão do novo confronto entre o Real Madrid e o Liverpool, desta feita no Santiago Bernabéu, Carlo Ancelotti não se coibiu de defender a honra do compatriota Mario Balotelli, debaixo de fogo em Inglaterra, devido à escassa produção ao serviço da equipa de Anfield.

“Fala-se muito de Balotelli, mas ele está numa equipa que não está a jogar bem e que perdeu Suárez, avançado que marcava muitos golos. É óbvio que o Liverpool precisa de outra solução, mas não acredito que o treinador deles pense que todos os problemas se resumem a um jogador. Balotelli tem de fazer o trabalho dele e nada mais se lhe pode exigir”, argumentou o treinador dos merengues, citado pela Imprensa inglesa.

Ao contrário de Brendan Rodgers, que repudiou o episódio, Carlo Ancelotti não atribuiu especial importância à troca de camisolas entre Pepe e Mario Balotelli no final da primeira parte do jogo Liverpool-Real Madrid, disputado há duas semanas em Anfield.

“Trocar de camisola ao intervalo com um jogador adversário é uma situação perfeitamente normal. Jamais substituiria um jogador por trocar de camisola ao intervalo”, disse o italiano.