Início Destaque Morosidade agasta cidadãos na tramitação de documentos no (INATERR)

Morosidade agasta cidadãos na tramitação de documentos no (INATERR)

Os munícipes da cidade de Maputo queixam-se da má actuação do pessoal que compõe o staff  do Instituo Nacional dos Transportes Terrestres (INATERR) – na Delegação da Cidade de Maputo – em relação ao encaminhamento de expedientes e entrega das cartas de condução e, acusam o mesmo de escolher as pessoas a quem atender mediante pagamento de um valor – o famoso “refresco”.

Entretanto, o recinto daquela instituição caracteriza-se por constantes enchentes e chegam até a faltar cadeiras para acomodar os cidadãos que lá se fazem e, vezes há em que nem mesmo espaço para se movimentar de um lado para o outro as pessoas têm.

Os utentes dos serviços que lá se prestam dizem não entender as razões que ditam esta morosidade, pois acreditam tratar-se de um trabalho simples. “Eu, sinceramente, já não entendo quais os requisitos necessários para obter a carta de condução provisória. Já entreguei tudo o que até então me foi pedido, mas quando venho levantá-la, a senhora do caixa manda-me ao processamento quatro (4) e por sua vez, o senhor desta secção manda-me voltar no dia seguinte, depois de me pedir a cópia do meu 117”, disse Felizberto Zunguza em declarações ao MMO.

Outra cidadã insatisfeita com a prestação dos recursos humanos do INATERR é Yolanda Cassamo, que confessa que já tinha ouvido dizer que para que as coisas ali corressem, bastava comprar um padrinho. “Minha amiga disse-me que conseguiu a carta logo depois que saiu o resultado do exame prático. Falou com um senhor que encaminhou de imediato o expediente e, naquele mesmo dia, ficou tudo resolvido. Só teve que pagar 500.00 Mt adicionais ao valor estabelecido para o levantamento”, referiu.

Yolanda disse ainda que, devido a morosidade dos processos, comprovada agora na primeira pessoa, decidiu pagar o valor extra. “Completo quase um mês correndo atrás desse documento e pela urgência que o mesmo exige, só posso alinhar no que fazem. Vou pagar, porque se não o fizer duvido que veja a cor da carta”, lamentou.

À semelhança destes dois, existem muitos outros cidadãos que se dizem agastados pela demora em todos os processos inerentes àquela instituição e lamentam o facto de sempre terem que ir e voltar sem sucesso.

Em busca de explicações sobre este assunto, a equipa do MMO tentou contactar a delegação dos transportes daquela instituição, que no momento não pôde prestar esclarecimentos, pois os delegados encontravam-se numa formação, mas a secretária garantiu que brevemente os seus superiores pronunciar-se-iam.

Artigo anteriorMulher britânica abusada sexualmente por um fantasma
Próximo artigoMulher cega tem carta de condução na Argentina