A operadora de telefonia móvel em Moçambique, Vodacom rubricou hoje em Maputo um acordo com a Televisão de Moçambique (TVM) no âmbito do projecto de prevenção e combate a malária levado a cabo pela operadora.

Falando momentos após a assinatura do memorando de entendimento o Administrador da Vodacom Nuno Quelhas disse que a parceria estabelecida com a TVM é mais uma prova da dimensão que o projecto de prevenção e combate a malária esta a atingir.

“Celebramos uma parceria no âmbito do projecto de prevenção contra a malária. A prevenção e combate a malária tem sido uma missão que a Vodacom tem levado a cabo em coordenação com o movimento Fazer recuar a malária pois continua ser a doença que mais mata em Moçambique. Desde que iniciamos este projecto já foram muitos passos e foram conseguidas pequenas vitórias para fazer face ao problema”, explicou.

Segundo Quelhas desde a primeira hora a intenção da Vodacom foi sempre de envolver outras entidades em torno do projecto para desta forma conseguirem chegar mais longe.

“Ainda temos muito trabalho para frente no sentido de dotar as comunidades com meios necessários para combater esta doença. Acreditamos que a melhor forma de combater a doença é através da prevenção. É fundamental informar as populações sobre a malária e sobre os métodos de prevenção para conseguirmos controlar e combater a propagação desta doença”, asseverou.

O Administrador acrescentou que é neste sentido que surge mais uma parceria no âmbito desta iniciativa, desta vez com TVM, depois do MINED, MISAU, Grupo SOICO e RM se terem associado a Vodacom.

Nuno Quelhas, Administrador da TVM
Nuno Quelhas, Administrador da TVM

Por sua vez o Presidente do Conselho de Administração da Televisão de Moçambique (TVM), Jaime Cuambe considera o acordo mais-valia para o Projecto mas sobretudo para o país.

“A TVM tem um longo historial de parcerias relacionadas com este tipo de projectos. Estamos comprometidos na luta contra a sida através do desenvolvimento de campanha de sensibilização e agora unimo-nos também contra malária”, referiu.

Cuambe disse ainda que como TVM assumem o compromisso pois a malária é a principal causa de mortes em Moçambique e cada 100 mil admissões nas unidades sanitárias cerca de 40 porcento resultam em mortes e normalmente em crianças com idades entre 0-5 anos.

Jaime Cumbe, PCA da TVM
Jaime Cumbe, PCA da TVM