O Ministério da Saúde (MISAU) está preocupado com o crescente número de casos de epilepsia no país cujos números já rondam nos 500 mil, segundo dados avançados por aquele organismo reunido em Maputo para um encontro de três dias.

O titular da pasta de Saúde, Alexandre Manguele disse na abertura do encontro que reúne quadros do seu ministério, especialistas de saúde mental e parceiros de cooperação que a doença constitui preocupação de todas as sociedades.

“Este tipo de situações são muitas das vezes escondidas pelas famílias, comunidades e sociedades em geral. Portanto este tipo de situações constitui um dos aspectos preocupantes”, lamentou Manguele.

Os grupos mais vulneráveis a epilepsia são crianças órfãs, vitimas de abuso sexual e violência e ainda idosos.

As autoridades de saúde apelam a sociedade, sobretudo das famílias com casos registados para o tratamento da doença.

O MISAU alerta ainda que sendo a epilepsia uma doença não contagiosa, muitas acções podem se levar em curso para minimizar o seu impacto, quer de natureza social viradas para a pessoa portadora da doença, família e comunidade, assim como de natureza física pois as vitimas tem tido complicações, precisando de cuidados especiais.

No encontro que decorre sob o lema “apostando na expansão dos serviços de saúde mental de qualidade integrados nos cuidados de saúde” será igualmente lançado programa epilepsia.