O Conselho Municipal da cidade de Maputo vai transformar o negócio informal em sistema de feiras, a partir deste mês de Junho.

Arnaldo Monteiro, director dos Mercados e Feiras no Conselho Municipal da cidade de Maputo, Arnaldo Monteiro, foi quem anunciou o facto, tendo dito que a iniciativa visa fundamentalmente descongestionar as terminais dos transportes públicos de passageiros e os passeios das diversas ruas e avenidas da capital do país, que, durante o horário de expediente, se encontram praticamente intransitáveis, por estarem ocupados por vendedores informais.

A medida, ainda segundo Arnaldo Monteira, visa também reduzir os riscos que a venda de alguns produtos na via pública representa para a saúde pública na capital do país, bem como devolver a estética urbana à mesma.

Para a concretização desta iniciativa, as autoridades municipais da cidade de Maputo estão, neste momento, a fazer a identificação e selecção de algumas vias e praças que passarão a acolher as feiras, onde serão postos à venda todos os produtos que normalmente são comercializados de forma desorganizada nos passeios de quase todas as avenidas e ruas da capital moçambicana.

Paralelamente a este trabalho, o Conselho Municipal está também a fazer o registo dos vendedores que irão comercializar os seus produtos nas referidas feiras.

Essas feiras irão acolher a venda de produtos alimentares frescos, tais como verduras e carnes e outros que, pela sua natureza, não podem ser comercializados em locais sem nenhuma condição para a sua conservação, para não pôr em causa a saúde pública.

As feiras vão também acolher vendedores de alimentos já confeccionados, uma vez que os mesmos serão integrados nos mercados já existentes, alguns dos quais estão em obras de ampliação para o efeito.

Neste momento, a cidade de Maputo, possui um total de quatro mil bancas desocupadas em diversos mercados, que foram abandonadas pelos seus proprietários, para se dedicarem ao negócio informal nos passeios, pois, segundo eles, é mais lucrativo por causa do movimento.