O Instituto Superior de Rela­ções Internacionais foi reconheci­do, pela Universidade de Oxford, como um dos melhores da região, e o seu reitor, Patrício José, vai dar aulas naquela universidade.

A qualidade de ensino, o equilí­brio de género, a capacidade orga­nizacional e a gestão são os facto­res que ditaram o reconhecimento do Instituto Superior de Relações Internacionais, ISRI, como uma instituição de referência da região austral de África e a adição do rei­tor, Patrício José, para o Clube dos Reitores da Europa, o que o habi­lita a dar palestras e aulas naquela instituição e noutras universidades importantes do velho continente. “Este reconhecimento reve­la que há uma atenção sobre o nosso trabalho acompanhado de uma avaliação. Os nossos gradu­ados ombreiam com os gradua­dos das melhores universidades do mundo. Eles são interventivos e nós verificamos isso pois, quan­do mandamos os nossos licencia­dos para o exterior, eles voltam com diplomas de distinção”, re­velou Patrício José. O reitor atribui mérito à co­munidade académica com que trabalha e diz que a distinção serve de impulso para fortalecer a qualidade de ensino naquela instituição.

“Isto resulta de muito apoio que tenho dos meus colegas, os directores, chefes de departa­mentos, professores e funcioná­rios. Trabalhamos como equipa e o reitor é o representante deste conjunto de funcionários dedi­cados e observadores das nor­mas éticas e deontológicas que permitiram trazer este resultado para os funcionários e para a na­ção”, referiu.

O Instituto Superior de Rela­ções Internacionais é vocaciona­do à formação de diplomatas e especialistas em Relações Inter­nacionais e, desde 2003, lecciona o curso de Administração Públi­ca.